Português BR Deutsch English Espanhol
Notícias

Comitê investe R$ 655 mil em projeto de Educação Ambiental na região em parceria com a Fiocruz



05-05/2022

Está previsto para este mês de junho um evento virtual de lançamento oficial da "Plataforma AGente das Águas: Educação Ambiental e Biomonitoramento Participativo para a Gestão das Águas". Trata-se de um projeto ambiental, fruto de uma parceria entre o Comitê de Bacia da Região Hidrográfica do Rio Dois Rios (CBH-R2R) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) firmada através de um convênio assinado entre as duas instituições em 4 de abril deste ano. O convênio tem prazo de 5 anos de execução e nele será aportado um montante de R$ 655 mil, recurso oriundo da cobrança pelo uso da água.

O projeto AGente das Águas é o eixo de ação em educação ambiental do CBH-
R2R, já previsto no Plano de Bacia do CBH-R2R, que foi aprovado em 2021. Seu foco principal a capacitação e envolvimento da população local na avaliação ambiental dos rios. A metodologia inclui a identificação de invertebrados aquáticos, e com base neste levantamento é possível classificar a qualidade da água do rio avaliado (Biomonitoramento). Essa metodologia foi desenvolvida e é validada pela própria Fiocruz, através do Laboratório de Avaliação e Promoção da Saúde Ambiental (LAPSA).

O Projeto já foi executado em vários estadosbrasileiros, inclusive em outros países.

Dentre as ações do projeto destacam-se: a identificação de parceiros institucionais que possam ser capacitados e se tornarem multiplicadores das ações do projeto; levantamento socioambiental das áreas alvo do projeto; curso teórico-prático para os agentes comunitários voluntários; ações de biomonitoramento dos rios e análise dos resultados obtidos.

As tratativas para o estabelecimento desta parceria iniciaram-se antes mesmo da pandemia, no entanto, só agora o convênio foi publicado no Diário Oficial. O próximo passo, de acordo com o CBH-R2R, é a realização de uma reunião para planejamento das ações para início das atividades do Projeto que serão conduzidas pelos técnicos do LAPSA/Fiocruz com o apoio da secretaria executiva do Comitê.

A expectativa do CBH é que os participantes do projeto nas comunidades sejam a verdadeira ferramenta de monitoramento. Vigiando-os e verificando as melhoras e pioras dos rios, transformando, assim, a comunidade e fazendo com que elas se apropriem dos rios de sua região.

Outras Notícias

Mais Notícias »